Passeamos a manhã toda, entrando em lojas de chocolate, backeries, só olhando a aquitetura e conversando de mãos dadas, aproveitando os ares da cidade mais romântica do mundo.
Depois do almoço fomos ao Museu do Louvre – impossível querer sair deste lugar.
Ver tantas obras à olho nu é indescritível. Sensacional é pouco.
Engraçado ver a quantidade de pessoas que estão passando apressadas, quase uma 25 de março, fazendo self com obras e nem olhando para nada, apenas andando em fila.
Me fez parar para pensar, porque também estava com uma câmera nas mãos. Por isso fiz questão de saborear com cuidado cada sala, cada cor, textura, luz q me foi possível absorver.
Realmente foi um dia de elevear a alma.
Depois um pôr do sol na Torre Eiffell.
Ahhh, sensacional.

Quero agradecer os amigos Marcel Martins, Jocemar Kovacs e Lili, Aninha Neres e o querido Cyrille, que nos ajudou em todos os preparativos com dicas e por terem curtido conosco em todas as maneiras.